Alemanha bate Chile e vence Copa das Confederações pela 1ª vez

Com gol marcado em falha de marcação da seleção chilena, os alemães garantiram o título do evento-teste para o Mundial da Rússia, no ano que vem

A Alemanha é campeã das Copa das Confederações pela primeira vez. Neste domingo, os atuais campeões do mundo venceram o Chile por 1 a 0 com um gol de Stindl, em falha feia do volante chileno Marcelo Díaz, e garantiram o primeiro título do torneio em sua história (a seleção alemã havia disputado a competição apenas uma vez, em 2005).

O título alemão mostra a força de uma seleção que tenta estabelecer a hegemonia no futebol mundial. utilizando uma equipe alternativa, apenas com revelações e jogadores sem espaço no time principal, os campeões bateram de frente com Portugal, Chile e México tendo sua força máxima. Assim, mirando a Copa da Rússia em 2018, revelações como Werner, Goretzka e o já experiente Draxler certamente ganharão espaço na sequência do time de Joachin Low

O Chile entrou em campo mostrando a confiança que aparentou nas entrevistas coletivas antes da partida, quando Vidal afirmou que a Roja seria a melhor do mundo caso fosse campeã neste domingo. Pressionando o adversário, o time chileno criou boas oportunidades no início e sufocou os alemães, que foram obrigados a dar chutões na defesa.

Logo após uma oportunidade perdida pelo Chile, porém, Marcelo Díaz cometeu erro grosseiro e a Alemanha abriu o placar. O volante tentou girar na meia-lua defensiva, perdeu a bola para Werner, que ficou de frente para Bravo e só rolou para Stindl mandar para as redes.

Mesmo atrás no placar, o Chile teve dificuldade para implementar uma pressão no segundo tempo. Os sul-americanos só conseguiram começar a blitz pelo empate a partir da metade da etapa final, quando Ter Stegen mostrou segurança e parou os chutes de Vargas, Vidal e Sánchez.

O Chile ainda teve a vantagem de terminar os 90 minutos com 11 homens em campo. Na marca dos 20 minutos, Jara acertou uma cotovelada em Werner e a arbitragem não viu. Avisado pelo vídeo, o juiz reviu o lance, mas só puniu o zagueiro com o cartão amarelo.

Na reta final, o Chile até tentou pressionar pelo empate, mas não obteve sucesso. A Alemanha se fechou com a saída de Werner e a entrada de Enre Can, e chegou até mesmo a mostrar uma característica inédita de seu time: a catimba para parar o jogo. Com algumas confusões durante os 90 minutos, que renderam seis cartões amarelos, os jovens alemães mostraram uma maturidade acima do esperado e a fome para buscar ainda mais.

O jogo – O Chile começou a partida pressionando os alemães e teve sua primeira oportunidade logo aos quatro minutos. Vidal dominou pela esquerda e levantou para Aránguiz no meio da área. O meio-campista dominou bem e tentou a finalização, mas foi travado e rolou para Rei Arturo, que bateu firme e obrigou grande defesa de Ter Stegen

Com as duas equipes se estudando muito, a segunda grande oportunidade veio apenas aos 19 minutos. Vidal dominou na entrada da área, limpou a marcação com facilidade e bateu firme. Ter Stegen deu rebote e Sánchez chegou na bola, mas dividiu com o goleiro e não conseguiu finalizar.

No minuto seguinte, a punição chegou para os chilenos. Marcelo Díaz errou feio na saída de bola na meia-lua defensiva e perdeu para Werner. O centroavante ficou de frente para Cláudio Bravo, não foi fominha e só rolou para Stindl mandar para o gol vazio.

Após abrir o placar, a Alemanha passou a dominar as ações da partida. Antes do final do primeiro tempo, os europeus criara mais duas oportunidades com Goretzka e Draxler, em dois passes de Werner, o melhor em campo.

Já nos acréscimos, o Chile quase entregou mais um gol para os adversários. Jara tentou cruzar a área com um passe rasteiro e mandou nos pés de Draxler, que dominou e rolou para Goretzka. O meio-campista bateu rasteiro na saída de Bravo, mas o chileno fez a defesa.

FICHA TÉCNICA: CHILE 0 X 1 ALEMANHA

Local: Estádio de São Petersburgo, em São Petersburgo (Rússia)
Data: 2 de julho de 2017 (Domingo)
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: Milorad Mazic (Sérvia)
Assistentes: Milovan Ristic (Sérvia) e Dalibor Djurdjevic (Sérvia)
Público: 57.258 torcedores
Cartões amarelos: Vidal, Bravo e Jara (Chile); Kimmich, Rudy e Can (Alemanha)
Gol: Stindl, aos 20 minutos do primeiro tempo (Alemanha)

CHILE: Bravo, Isla, Medel, Jara e Beausejour; Marcelo Díaz (Leonardo Valencia), Aránguiz (Sagal), Arturo Vidal e Pablo Hernández; Eduardo Vargas (Puch) e Alexis Sánchez. Técnico: Juan Antonio Pizzi

ALEMANHA: Ter Stegen; Ginter, Mustafi e Rudiger; Kimmich, Rudy, Leon Goretzka (Sule), Jonas Hector e Draxler; Werner (Enre Can) e Stindl. Técnico: Joachim Low

(com Gazeta Press)